ANBIMA: o que é e qual o seu papel no mercado financeiro?

ANBIMA: o que é e qual o seu papel no mercado financeiro?

O número de investidores no Brasil está aumentando. Em fevereiro de 2022, a B3 (a bolsa de valores brasileira) atingiu 5 milhões de contas de pessoas físicas investindo em renda variável. E a renda fixa também segue em crescimento, alcançando 10 milhões de CPFs em dezembro de 2021.

Isso significa que, cada vez mais, os brasileiros estão percebendo a importância de investir. Nesse sentido, conhecer o que é a ANBIMA se torna importante tanto para o investidor comum quanto para aquele que deseja se tornar um profissional de investimento.

Para entender melhor o seu conceito, neste artigo você conhecerá a ANBIMA, seu funcionamento e o seu papel no mercado financeiro. Acompanhe até o final!

O que é a ANBIMA?

O mercado financeiro é bastante amplo e conta com diversas alternativas de investimento para todo o tipo de investidor. Nesse contexto, é natural a criação de associações para defender os interesses de determinados participantes — é o caso da ANBIMA.

A sigla representa a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais. Ela foi fundada em outubro de 2009, após a fusão da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (ANBID) com a Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (ANDIMA).

Trata-se de uma associação que representa bancos, gestoras, corretoras, distribuidoras e administradoras de valores mobiliários no mercado financeiro e de capitais. Nesse sentido, ela é considerada uma das principais entidades relacionadas ao universo dos investimentos.

Entre seus objetivos, está apoiar o crescimento do mercado visando o desenvolvimento econômico e social. Sua atuação é pautada em 4 pilares: a representação, autorregulação, informação e educação.

Como a ANBIMA funciona?

Após conferir o que é a ANBIMA, talvez você queira saber como ela funciona. Para compreender essa questão, é necessário entender o que é o SFN (Sistema Financeiro Nacional).

Ele é formado pelo conjunto de entidades e instituições que promovem a intermediação financeira. Ou seja, o grupo de entidades que possibilitam o encontro entre fornecedores e tomadores de recursos.

Por meio do sistema financeiro que o Governo, empresas, bancos e pessoas movimentam recursos, pagam suas dívidas e realizam investimentos. Nesse contexto, a ANBIMA integra o SFN, contribuindo com a regulamentação do setor, estabelecendo regras e boas práticas.

No entanto, por ser uma associação privada, a ANBIMA atua com a autorregulação. Isso significa que ela cria regulamentações às instituições visando garantir a transparência e a segurança nos mercados financeiros de capitais, mas a adesão aos códigos e normas é voluntária.

Contudo, a partir de sua adesão, os membros são obrigados a seguir as regras impostas pelo órgão. Em caso de descumprimento por um associado, por exemplo, a ANBIMA pode aplicar penalidades — como multas, advertências, suspensão e até a exclusão da associação.

Ademais, a ANBIMA possui autorização da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) — órgão que regula e fiscaliza o mercado — para fornecer certificações aos interessados que desejam se tornar profissionais de investimentos.

Quais são as certificações fornecidas pela ANBIMA?

Como forma de promover a informação e a educação, a ANBIMA oferece cursos sobre o mercado financeiro e capacitação de investidores profissionais. Assim, ela organiza os conteúdos e elabora as avaliações aos candidatos que se inscrevem em seus programas de qualificação.

Cada um de suas certificações habilita o profissional ao exercício de uma atividade específica. Atualmente, a ANBIMA oferece 6 certificações. São elas:

CPA 10 — destinada aos profissionais que atuam na distribuição de investimentos;

CPA 20 — voltada a profissionais que desejam trabalhar com clientes do varejo de alta renda, investidores institucionais, entre outros;

CEA — habilita o profissional a atuar como especialista de investimentos e, assim, poder recomendar alternativas e assessorar gerentes de contas;

CFG — atende a quem deseja iniciar a carreira como gestor de recursos de terceiros, assumir cargos em empresas de asset management, entre outras;

CGA — exigida para exercer a função de gestor de fundos de investimento. Por exemplo, fundos de renda fixa, ações, cambiais e multimercados;

CGE — com essa certificação profissional, você estará habilitado para ocupar o cargo de gestor em fundos estruturados, como fundos em participações, direitos creditórios e imobiliários.

Em caso de aprovação, o candidato poderá exercer a atividade de investidor profissional de acordo com a certificação obtida. Logo, qualquer pessoa que tenha o interesse em se tornar um profissional do mercado, deve considerar tirar uma certificação junto à ANBIMA.

Qual é o papel da ANBIMA?

Ao chegar até aqui, é possível entender que a ANBIMA tem um papel bastante relevante no mercado financeiro. Como sua atuação se dá de forma autônoma em relação às instituições que representa, ela tem poder de influenciar o próprio mercado, ao mesmo tempo em que auxilia o investidor.

Quando uma pessoa pretende começar a investir, é comum que ela busque instituições ou corretoras que forneçam investimentos de seu interesse. Elas são responsáveis por oferecer e classificar os produtos ou ativos financeiros mais adequados ao seu perfil de investidor e objetivos.

No entanto, quem não tem muita experiência sobre o mercado ainda pode encontrar dificuldades em fazer escolhas. Afinal, além de considerar questões como o aporte inicial e a rentabilidade proposta, é preciso conferir também:

  • os riscos associados;
  • proteções ou garantias existentes;
  • eventual prazo de carência de resgate;
  • impostos que incidem no investimento;
  • entre outros.

Com tantos detalhes, o interessado pode necessitar de suporte profissional — seja para entender melhor uma alternativa de investimento ou para auxiliá-lo na tomada de decisão. Nesse sentido, a ANBIMA exerce um papel fundamental, pois treina e capacita o profissional que atua nesse ramo.

Dessa maneira, a associação contribui para a proteção do investidor e do próprio mercado financeiro. Isso evita que pessoas cometam equívocos quando estão investindo, assim como impede uma atuação tendenciosa de empresas ou de um gerente bancário, por exemplo.

Assim, o investidor consegue tomar decisões mais adequadas ao que, de fato, está buscando no mercado. Portanto, por meio da autorregulação, a ANBIMA promove boas práticas em relação às negociações do mercado, construindo um ambiente mais forte e transparente.

Conclusão

Agora você sabe o que é a ANBIMA e suas principais certificações, conseguiu entender a importância dessa associação para o mercado financeiro e de capitais? Por isso, conhecer o assunto é fundamental para quem deseja investir ou se tornar um profissional de investimentos!

Para saber mais a respeito da atuação dos órgãos regulatórios do mercado de capitais e adentrar este mercado entre em contato conosco!

Acompanhe:

Endereço: Av. Pedroso de Morais, 433 - 9º andar - São Paulo - SP - E-mail: contato@laqus.com.br

O seu endereço de e-mail será usado com a finalidade de uma oportunidade, notícia sobre nosso ecossistema
e contato da Laqus. encarregado pela LGPD para: Laqus Ltda - Andréa Vilalba - Telefone: (11) 3522-4022