Como fazer a gestão do capital de giro da empresa?

Como fazer a gestão do capital de giro da empresa?

Uma das tarefas mais importantes do gerenciamento financeiro de uma empresa é a gestão do capital de giro. Por meio dele, é possível cuidar do montante que deve ficar disponível para sustentar as operações do negócio durante determinados períodos.

Como o capital de giro é uma reserva para momentos específicos, é necessário garantir que ele tenha um valor adequado. Dessa forma, há como evitar problemas decorrentes da indisponibilidade de recursos para o negócio.

Para entender o que fazer, continue a leitura e veja como realizar uma efetiva gestão do capital de giro da empresa!

Para que serve o capital de giro?

Além de conhecer o conceito, é importante compreender para que serve o capital de giro. De modo amplo, pode-se dizer que ele é útil para financiar as operações do negócio em diversas situações.

No início do empreendimento, o montante tem a finalidade de garantir o cumprimento das obrigações — mesmo quando ainda não há clientes ou lucro. Assim, é possível sustentar o negócio até que ele consiga se manter por meio dos resultados obtidos.

O capital de giro também é útil para a gestão financeira geral da empresa. Como é comum vender a prazo para os clientes e pagar os fornecedores em períodos menores, o montante serve para garantir o cumprimento das obrigações e para manter o ciclo financeiro saudável.

Quais os riscos de não fazer uma gestão eficaz do capital de giro?

Até aqui, você viu como o capital de giro é relevante para o empreendimento. Por conta disso, não realizar um gerenciamento adequado desse montante pode gerar efeitos indesejáveis e prejudicar o negócio.

Sem uma gestão efetiva, há o risco de a companhia não dispor de dinheiro suficiente para sustentar suas operações. Como consequência, uma queda nas vendas ou problemas com o faturamento podem deixar a companhia sem dinheiro para executar as atividades.

Porém, caso não disponha dos recursos exigidos para abastecer o estoque, o armazenamento pode não ser suficiente para atender às necessidades dos clientes. Se houver a ruptura de estoque — ou seja, o desabastecimento —, a empresa pode perder vendas e clientes.

Além disso, um gerenciamento inadequado desse capital pode fazer com que o nível de endividamento do negócio aumente. Logo, a gestão financeira e a continuidade no mercado podem ser afetadas.

Como gerenciar o capital de giro da empresa?

Considerando os riscos que existem quando a gestão não é feita adequadamente, é necessário saber como gerenciar o capital de giro do seu negócio. É importante adaptar as medidas para a realidade da sua companhia, mas existem algumas ações que costumam ser relevantes em todos os cenários.

Para entender o que fazer na gestão de capital de giro da empresa, confira dicas para colocar em prática no cotidiano do empreendimento!

Compare o capital de giro atual com a necessidade real

Um dos primeiros passos é compreender quais são as características atuais do capital de giro do empreendimento. Por isso, comece calculando qual deve ser o valor do capital e identifique a sua disponibilidade ao subtrair os passivos dos ativos circulantes.

Se o resultado for positivo, o negócio é capaz de arcar com as despesas financeiras, diante dos ativos que possui. Já se ele for negativo, é um indício de alto endividamento, com débitos superiores ao patrimônio circulante. Isso pode identificar maior ou menor necessidade de capital.

Ademais, compare o montante que você tem provisionado agora com a real necessidade. Ele deve atingir, no mínimo, o valor calculado, mas não deve superar muito o que for considerado ideal. Assim, há como evitar o comprometimento de recursos que poderiam ser usados em outras estratégias do negócio.

Implemente uma política para reduzir os custos

Como você viu, o capital de giro deve considerar os passivos da companhia, o que inclui as dívidas e os gastos gerais. Portanto, diminuir as despesas pode ser uma forma de reduzir o custo para manter o negócio. Desse modo, tende a ser mais fácil fazer a gestão de capital de giro.

Nesse caso, você deve implementar uma política estruturada para reduzir os gastos sem comprometer a qualidade ou a estratégia do negócio. Por isso, vale a pena fazer um reconhecimento completo da situação para entender quais são os principais gargalos e onde estão os custos supérfluos.

Em seguida, defina uma política de contenção de despesas, focando nesses gastos que podem ser reduzidos ou eliminados. Assim, a necessidade de capital de giro será menor e o uso de recursos da companhia será otimizado.

Negocie condições com os fornecedores

Para que a empresa tenha mais fôlego financeiro, é interessante buscar condições mais favoráveis em relação aos fornecedores. A ideia é negociar preços ou prazos de pagamento, pois isso ajuda a diminuir a necessidade de acionamento do capital de giro.

Se a empresa conseguir pagar os fornecedores e parceiros em um prazo maior, pode ter tempo suficiente para receber a maior parte dos pagamentos dos clientes. Como consequência, será preciso dispor previamente de um montante menor para cumprir as obrigações financeiras.

Busque crédito com estratégia

Uma boa gestão de capital de giro também envolve a busca de alternativas de crédito para ajudar as finanças, em vez de torná-las mais complexas. Recorrer a empréstimos ou financiamentos, por exemplo, tende a elevar o endividamento. Com isso, a necessidade de capital de giro também fica consideravelmente maior.

Por outro lado, recorrer ao mercado de capitais pode trazer facilidade para obter recursos de modo mais barato. Uma opção é o certificado de recebíveis do agronegócio (CRA), voltado para empresas desse setor.

No caso, você antecipa seus recebíveis e os direitos creditórios são cedidos para uma securitizadora. Então esses direitos são transformados em títulos negociados no mercado, que é o CRA. Assim, parte dos recursos obtidos podem ser utilizados para atingir o nível de capital de giro necessário.

Também é possível recorrer às notas comerciais ou commercial papers. Eles funcionam como um compromisso de dívida regulamentado entre a companhia e os investidores. Como a nota comercial tem curto prazo de vencimento, é comum que seja utilizada para compor o capital de giro do empreendimento.

Com essas dicas, você sabe como fazer a gestão de capital de giro do negócio com máxima eficiência. Assim, é possível proteger a empresa em diferentes cenários, evitando problemas que podem colocar em risco a continuidade da companhia.

Quer ajuda para conhecer e aproveitar as oportunidades de captação de recursos? Fale com o time da Laqus!

Acompanhe:

Endereço: Av. Pedroso de Morais, 433 - 9º andar - São Paulo - SP - E-mail: contato@laqus.com.br

O seu endereço de e-mail será usado com a finalidade de uma oportunidade, notícia sobre nosso ecossistema
e contato da Laqus. encarregado pela LGPD para: Laqus Ltda - Andréa Vilalba - Telefone: (11) 3522-4022