Gestão de risco: o que é e como aplicar nos investimentos

Gestão de risco: o que é e como aplicar nos investimentos?

O risco é toda situação indesejável e incontrolável que pode ocorrer e afetar os resultados nos investimentos. Para lidar com cenários desse tipo, é preciso saber o que é a gestão de risco e como essa ferramenta funciona.

O gerenciamento pode ser adotado de diversas formas nos investimentos de pessoas físicas e jurídicas. Assim, é possível garantir uma percepção melhor e mais preparo para alcançar o desempenho buscado na carteira.

Na sequência, descubra o que é a gestão de risco para investimentos e entenda quais são os pontos para considerar em relação a ela!

O que é a gestão de risco e para que ela serve?

A gestão de riscos é um conjunto de estratégias que serve para identificar os riscos e definir meios de mitigar suas ocorrências e seus efeitos. Esse gerenciamento, portanto, envolve uma análise inicial do nível tolerável de riscos.

Além disso, é preciso analisar quais são as situações que os riscos podem ocorrer. Logo, a gestão prevê a elaboração de um plano — que pode servir tanto para evitar o aumento do nível de riscos quanto para diminuir os impactos, caso eles se concretizem.

É importante notar que a gestão de risco não tem origem nos investimentos. Ele costuma ser executado por pessoas jurídicas, em diferentes contextos. Nesse sentido, são avaliadas questões no aspecto financeiro, operacional, estratégico, mercadológico e outros.

Também é comum que uma gestão de risco empresarial dê origem a medidas de compliance e alinhamento. Desse modo, a companhia passa a ter mais controle sobre essas situações, além de direcionamento e alinhamento sobre a forma de agir.

O que é a gestão de risco nos investimentos?

Como você viu, o gerenciamento de risco pode ser feito de diversas maneiras — em especial, no contexto corporativo. Além desses quadros, vale saber que ele pode ser adotado na realização de investimentos, sendo válido para investidores físicos ou empresas.

Quando se fala de investimentos, a gestão envolve a análise dos riscos que existem em qualquer tipo de investimento. Logo, a ideia não é evitar ou neutralizar totalmente os riscos, pois esse movimento não é realmente possível.

Em vez disso, o gerenciamento é feito de modo a planejar a composição do patrimônio e diluir riscos na medida do possível. Uma das formas de alcançar essa meta é garantindo que a carteira esteja alinhada em relação às necessidades de segurança de cada investidor.

Por que é importante entender esse conceito?

Devido ao seu papel nos investimentos, conhecer a gestão de risco é essencial para qualquer tipo de investidor. A partir dela, é possível identificar ameaças financeiras e os impactos que elas podem causar na carteira e no patrimônio, de maneira geral.

Assim, o conceito ajuda na escolha dos investimentos. É viável, por exemplo, priorizar uma aplicação financeira menos arriscada quando o objetivo é ter mais segurança. A gestão também é uma forma de identificar os melhores investimentos para as características do investidor — como perfil e objetivos.

No geral, compreender a gestão de risco pode ajudar a proteger o patrimônio e a tomar decisões adequadas quanto aos ativos e às operações. Assim, é possível aproveitar as oportunidades do mercado financeiro de maneira alinhada à sua tolerância ao risco.

Para profissionais do mercado financeiro, conhecer o conceito e saber como aplicá-lo também é essencial. Um agente autônomo de investimento (AAI), por exemplo, deve saber como orientar os investidores a gerenciarem o risco da carteira.

Dessa forma, o assessor pode prestar um suporte mais adequado, tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas que desejam compor uma carteira equilibrada. Sem dúvida, esse é um dos pontos mais importantes na hora de atender investidores.

Como aplicar a gestão de risco nos investimentos?

Com base no que você viu até aqui, é possível perceber a importância da gestão de risco. Por isso, é preciso ter atenção para colocá-la em prática e ajudar seus clientes a obterem a respectiva proteção em relação à carteira e à estratégia de investimentos.

Quer saber como esse processo deve ser feito? Descubra quais são as etapas mais importantes para acertar no gerenciamento de risco dos investimentos!

Análise do perfil de investidor

O primeiro aspecto envolve conhecer qual é o perfil de investidor. Ele serve para indicar o nível de tolerância ao risco de cada pessoa ou empresa. Nesse sentido, o investidor pode ser conservador, moderado ou arrojado.

Com essa definição, é possível identificar quais podem ser os melhores investimentos para atender à tolerância aos riscos do investidor. Assim, o assessor de investimentos precisa se guiar pelo perfil para apresentar alternativas alinhadas com a capacidade que o cliente tem de correr riscos.

Definição de objetivos financeiros

Um bom gerenciamento de risco também envolve os objetivos financeiros e seus respectivos prazos. Pensando na diluição de riscos, por exemplo, pode ser interessante que alternativas mais arriscadas sejam vistas para o longo prazo.

Já se o objetivo for de curto prazo, buscar uma aplicação financeira mais segura pode ser o ideal. Portanto, é possível realizar um gerenciamento alinhado de acordo com os objetivos e interesses de cada investidor.

Compreensão dos investimentos e seus riscos

Para gerenciar os riscos ao investir, também é essencial conhecer os investimentos disponíveis e suas características. Dessa forma, é possível compreender qual é a relação entre risco e retorno, o prazo e demais questões relevantes.

Nesse aspecto, o papel do profissional do mercado financeiro é especialmente relevante. O AAI é capacitado para apresentar diferentes oportunidades, explicando para o investidor seu funcionamento e os riscos. Assim, quem investe pode definir qual é a melhor alternativa para o seu portfólio.

Diversificação de carteira

Independentemente do nível de tolerância ao risco, todo investidor deve diversificar a carteira. Essa decisão ajuda a evitar a concentração de recursos em poucas condições e pode diminuir parte dos riscos.

Para fazer a diversificação, é necessário considerar os aspectos dos investimentos e da estratégia definida para o gerenciamento de riscos. Assim, a carteira passa a ter as características adequadas a cada investidor.

Agora você sabe o que é a gestão de risco e como ela pode ser aplicada nos investimentos. Devido à sua importância, o gerenciamento deve ser usado tanto por investidores quanto por profissionais do mercado financeiro, de modo que seja possível encontrar a melhor configuração para cada caso!

Essas informações foram úteis para você? Se quiser entender melhor as oportunidades disponíveis para a diversificação, fale conosco da Laqus!

 

Acompanhe:

Endereço: Av. Pedroso de Morais, 433 - 9º andar - São Paulo - SP - E-mail: contato@laqus.com.br

O seu endereço de e-mail será usado com a finalidade de uma oportunidade, notícia sobre nosso ecossistema
e contato da Laqus. encarregado pela LGPD para: Laqus Ltda - Andréa Vilalba - Telefone: (11) 3522-4022