O que são títulos privados de dívidas e como funcionam?

O que são títulos privados de dívidas e como funcionam?

Uma das classes de investimentos no mercado de capitais é a renda fixa — a qual oferece diversas alternativas de aplicações. Entre as possibilidades, vale a pena conhecer o que são títulos privados de dívidas.

Dessa maneira, você entenderá como eles funcionam e quais resultados podem oferecer. Além disso, é interessante conhecer as vantagens dos títulos privados de dívida tanto para quem investe quanto para empresas que emitem esses ativos mobiliários.

Quer descobrir o que são os títulos privados e quais suas principais características? Continue a leitura e saiba mais!

O que são títulos privados de dívidas?

O primeiro ponto que você deve conhecer é o conceito de um título de dívida. Esse é um valor mobiliário que funciona como um tipo de empréstimo. Então o investidor disponibiliza recursos, tornando-se uma espécie de credor do emissor do título.

Já o responsável pela emissão do título se compromete a pagar uma rentabilidade com características conhecidas. Além disso, os títulos de dívida se dividem entre os públicos e os privados.

Os títulos públicos brasileiros são emitidos pelo Tesouro Nacional e servem para o Governo Federal captar recursos. Já os títulos privados de dívida são os investimentos de renda fixa criados por empresas de diferentes tamanhos e setores.

Ainda, vale notar que os títulos privados podem apresentar uma subdivisão, conhecida como crédito privado. Essa classificação compreende os títulos privados que são emitidos por empresas não financeiras.

Quais são as principais características dessas aplicações?

Agora que você entende o que são os títulos privados de dívida, é interessante compreender quais são suas características gerais. Assim, você conhecerá melhor o funcionamento das aplicações disponíveis.

A seguir, veja os aspectos referentes ao funcionamento de títulos privados.

Rentabilidade

Como são de renda fixa, esses investimentos têm um retorno que segue regras conhecidas antecipadamente. Entre os tipos, há três rentabilidades possíveis:

  • prefixada: definida por uma taxa fixa que é conhecida antes do investimento;
  • pós-fixada: atrelada à variação de um indicador de referência, como o Certificado de Depósito Interbancário (CDI);
  • híbrida: formada por uma taxa fixa mais a variação de um indicador, como Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Segurança

Em relação à segurança, os títulos privados de dívidas oferecem menos riscos que os ativos da renda variável, por exemplo. Isso ocorre porque há a previsibilidade sobre o retorno, sendo que na renda variável não há nenhuma garantia de ganho.

Além disso, a proteção varia entre os tipos de título. Aqueles que são emitidos por instituições financeiras costumam apresentar proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Essa é uma entidade que paga os investidores, dentro de certos limites, caso o emissor do título não cumpra o pagamento acordado.

Os títulos de crédito privado, por sua vez, não têm proteção do FGC. Com isso, eles apresentam mais riscos — mas também podem oferecer mais ganhos. Essa dinâmica se deve à relação proporcional entre risco e retorno.

Liquidez

A liquidez corresponde à facilidade com a qual um investimento pode ser convertido em dinheiro. Em alguns títulos de dívidas, há liquidez diária — permitindo o resgate antecipado em qualquer dia.

Porém, o mais comum é encontrar títulos com baixa liquidez. No entanto, é possível negociá-los no mercado secundário, se houver interesse em fazer o resgate antecipado. Nesse cenário, é preciso observar que pode haver perdas, devido à marcação a mercado — ou seja, do valor do título no dia da venda.

Quais são os principais títulos privados de dívida do mercado?

Após conhecer as características de funcionamento dos títulos privados de dívidas, vale entender quais deles estão disponíveis no mercado.

Entre os que são emitidos por instituições financeiras, é possível destacar:

  • certificado de depósito bancário (CDB);
  • letra de crédito imobiliário (LCI);
  • letra de crédito do agronegócio (LCA);
  • letra hipotecária (LH);
  • letra de câmbio (LC), entre outros.

No crédito privado, também há uma grande variedade de alternativas disponíveis. Entre as mais conhecidas, estão:

  • debênture;
  • certificado de recebíveis imobiliários (CRI);
  • certificado de recebíveis do agronegócio (CRA);
  • nota comercial (commercial paper) e outros.

Se você quiser entender melhor as possibilidades do crédito privado, confira as diferenças entre CRAs, debêntures e notas comerciais.

Quais as vantagens de investir nesses títulos?

Considerando as características gerais de funcionamento, os títulos privados podem ser oportunidades interessantes para os investidores. Em primeiro lugar, eles podem oferecer mais segurança, o que ajuda a equilibrar os riscos da carteira.

Além disso, há muita variedade de alternativas disponíveis. Logo, você pode encontrar condições distintas de segurança, liquidez e retorno. Assim, é possível escolher o que for mais adequado para cada objetivo que você tiver.

Ainda, os títulos privados de dívidas podem ajudar a rentabilizar o patrimônio de quem investe. Desse modo, investir neles pode ser uma forma de compor e acumular patrimônio.

Quais são as vantagens de emissão para as empresas?

Além dos investidores, as empresas privadas podem se beneficiar dos títulos privados. Para os emissores desses títulos, existe a chance de captar recursos financeiros por meio dos valores mobiliários.

Assim, é possível dispor do dinheiro obtido para financiar projetos, compor capital de giro ou alongar dívidas, por exemplo. Ao mesmo tempo, o custo desse crédito tende a ser menor que o de empréstimos e financiamentos bancários.

Como consequência, a empresa pode captar recursos sem precisar elevar muito o endividamento. No geral, portanto, a emissão de títulos privados de dívidas pode ajudar as companhias a terem uma gestão financeira mais efetiva e com mais qualidade.

Como escolher e investir em títulos privados de dívida?

Até aqui, você viu o que são os títulos privados de dívidas e como eles funcionam. Agora é interessante saber como investir nessas alternativas, considerando as diferentes possibilidades.

Nesse sentido, comece analisando seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros. Desse modo, você sabe qual é o risco tolerável na sua estratégia e qual é o prazo ideal para os títulos da sua carteira.

Em seguida, pesquise o tipo de título mais adequado. Como visto, as aplicações de crédito privado podem oferecer mais retorno sem que seja preciso sair da renda fixa e, com isso, podem ser atraentes.

Após definir a estratégia de alocação, você deve ter conta em uma instituição financeira para escolher os títulos. Eles ficam disponíveis na plataforma de investimentos de cada instituição, de modo que você pode selecionar os mais interessantes para a sua carteira.

Neste artigo, você descobriu o que são os títulos privados de dívidas e como eles funcionam. Como é possível obter diversas vantagens com esse tipo de investimento, vale a pena saber analisá-los para escolher o que for mais conveniente para o seu portfólio.

Essas informações foram úteis? Se precisar de ajuda para conhecer melhor as oportunidades do mercado, entre em contato conosco da Laqus!

Acompanhe:

Endereço: Av. Pedroso de Morais, 433 - 9º andar - São Paulo - SP - E-mail: contato@laqus.com.br

O seu endereço de e-mail será usado com a finalidade de uma oportunidade, notícia sobre nosso ecossistema
e contato da Laqus. Encarregado pela LGPD para: Laqus S.A - Andréa Vilalba - Telefone: (11) 3522-4022